• Home
  • Blog
  • As tecnologias e o futuro de tributaristas

As tecnologias e o futuro de tributaristas

Especialista discute a presença de tecnologias no meio tributário.

É óbvia a relação do uso de tecnologias e a velocidade de execução de tarefas. Não faz muito tempo, falávamos de tarefas meramente braçais. A realidade, como tudo em termos de tecnologia, se altera rapidamente. 

De qualquer forma, pelo prisma da inteligência e pela forma manual aplicada pelos humanos nas tarefas na apuração tributária, deveremos considerar algumas questões. Sejam imediatas de atividades manuais, seja o futuro promissor da inteligência artificial.

Vejamos como as organizações inovadoras executam algumas de suas rotinas de pesquisa e emissão de Certidões Negativas de Multas. Por exemplo, há robôs que executam este monitoramento de forma automática, dispensando a pesquisa das inscrições de contribuintes. 

O serviço de pesquisa é realizado periodicamente, automático e as certidões enviadas para os respectivos destinatários sem envolvimento humano. 

Caso haja alguma certidão positivada um alerta é gerado para que um humano analise a situação. Esta tarefa é um exemplo de aplicação de uso da tecnologia de forma simples e eficiente.

Outra situação, já comum nos ambientes dos tributaristas, diz respeito ao uso de programas de validação de escriturações. 

As escriturações, quando se tornaram digitais, permitiram o uso de robôs para a execução de tarefas repetitivas. Submeter um livro digital de escrituração e apuração, como são as Escriturações Fiscais Digitais (EFDs) do ambiente do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) , foi relativamente simples para ser implementado. 

A maior dificuldade foi identificar os casos em que o Programa Validador e Assinador (PVA), aponta erros na escrituração. Isso foi solucionado. Nos casos em que tudo ocorre como previsto, a escrituração e transmissão pode ser totalmente automatizada.

Como vimos, o uso do tempo dos profissionais, recurso mais escasso nas organizações, pode ser otimizado. Esta otimização permite que o recurso sofisticado dos humanos seja utilizado em tarefas nobres. As tarefas manualizadas podem ser atribuídas a executores de categoria inferior. 

A capacidade de análise e elaboração de cenários do ser humano, juntamente com sua criatividade para gerar alternativas de solução e melhorias é o maior ativo intangível das equipes tributaristas. 

Quando as pessoas não necessitam executar tarefas tão rotineiras e os desafios de melhorar o desempenho dos usuários das informações toma o lugar principal, os algoritmos não nos superam. 

O nível de tecnologia aplicado atualmente nos ambientes dos tributaristas ainda é baixo. A revolução apenas começou. Assim como na medicina, na engenharia ou na indústria automotiva, não é opção usar tecnologia da informação, também não será para tributaristas. 

A quantidade de diagnósticos realizados por imagem no Sistema Único de Saúde (SUS), realizados pela Fundação Instituto de Pesquisa em Diagnóstico por Imagem (FIDI), por exemplo, cresceram cerca de 50% na comparação entre 2018 e 2021. 

A utilização de tecnologia não é opção. A massificação de algoritmos para uso em desenhos industriais, diagnósticos médicos ou emissão de guias de recolhimento, alertas de multas ou monitoração de documentos não escriturados são distintos. 

Porém, estas técnicas têm como meio comum a robustez de processamento de enormes volumes de dados, assertividade nos resultados e rapidez nas entregas. 

Cabe salientar que trouxe exemplos de técnicas aplicadas no ambiente dos tributaristas. No caso dos profissionais contábeis, há automações surgindo a cada momento, porém, como há maior demanda de análise a velocidade para substituição de humanos é menor, exatamente pela nossa capacidade. 

A Inteligência Artificial será aplicada nesta área, sem dúvida. E será mais uma ferramenta de trabalho para os contadores e contadoras. 

Em suma, exemplifiquei que o uso da tecnologia no âmbito das equipes tributárias, pois são as atualmente mais impactadas. As próximas equipes que estão nas rotas de uso massivo de tecnologia são da contabilidade.  

É hora de aproveitar esta onda para diferenciação no mercado de trabalho. Quanto mais próximos da tecnologia estiverem tributaristas e profissionais contábeis, mais serão percebidos como contemporâneos do mundo do trabalho atual.

Fonte: Portal Contábeis

Gostou? Compartilhe!
Facebook
Twitter
Email
WhatsApp
Telegram