• Home
  • Blog
  • Taxa Selic deve sofrer nova queda e favorece investimento em bolsa

Taxa Selic deve sofrer nova queda e favorece investimento em bolsa

Foi publicado, na manhã desta segunda-feira, 19, o Relatório de Mercado Focus, responsável por monitorar a evolução das expectativas do mercado brasileiro. A projeção confirma que a taxa Selic deve continuar a cair e chegar a 5%.

Na última reunião do Comitê de Política Monetária, realizada em julho, o Banco Central cortou a taxa Selic para 6%. O objetivo da medida é estimular a retomada da produção e consumo, permitindo o financiamento através de taxas de juros mais baixas.

De acordo com o especialista em finanças Marco Camhaji, a queda da Selic implica em uma redução no custo de capital das instituições financeiras, diminuindo, por consequência, o custo do crédito a ser repassado para as empresas e consumidores finais na ponta.

Onde investir com a Selic em queda

Com esse movimento de queda nos juros, um efeito que se observa é que as aplicações em renda fixa são cada vez menos atrativas do ponto de vista de rendimentos. Por isso, é preciso realizar uma análise mais meticulosa dos ativos, já que títulos do governo e investimentos em renda fixa, apesar de mais seguros, apresentarão rentabilidade mais baixa.

Segundo o especialista, as opções de renda variável são uma alternativa melhor para quem busca resultados mais significativos. “As pessoas precisarão fazer uma avaliação da expectativa de curto, médio e longo prazo e isso para a decisão dos investimentos. A economia brasileira atual, com este patamar de taxa de juros, estimula a alocação em fundos mais diversificados.”

Dicas de investimento no novo cenário da Selic

Com a redução da Selic e com a taxa de inflação controlada em patamares baixos, Marco Camhaj acredita que terá uma maior alocação de investimentos em ativos de maior risco. As pessoas passarão a buscar maiores riscos para obtenção de retornos significativos e ações em bolsa passam a ser um ativo interessante, desde que bem analisados.

No entanto, segundo o especialista, uma boa diversificação da carteira com ativos mais conservadores podem gerar um bom equilíbrio para o longo prazo. Nesse caminho, fundos multimercado podem representar uma solução atrativa neste momento.

Portabilidade de financiamento

A queda de juros é a melhor época para solicitar a portabilidade do financiamento imobiliário para outro banco com taxas de juros mais baixas. Isso pode proporcionar um grande alívio no bolso.

Com a queda na taxa básica de juros, torna-se um bom momento para comparar as taxas no mercado e reavaliar o financiamento da casa própria.  Segundo o Banco Central, em 2018 foram feitos 5.535 pedidos de portabilidade de crédito imobiliário, alta de 453,8% em relação a 2017. No primeiro semestre deste ano, já foram 3.466.

Apesar do crescimento, o número ainda é pequeno perto da portabilidade em outras modalidades de crédito. Para analistas, a principal causa é a desinformação sobre essa possibilidade. Outra razão é que não havia antes um ambiente econômico favorável como o de agora, com melhoria da regulação e maior competição nesse segmento de crédito.

 

Fonte: Contabeis.com.br

Gostou? Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram